quinta-feira, 21 de março de 2013

Fidedigno ao que entrego




Fidedigno ao que entrego


Outono, sublime tom que emite sons

Salve o belo

O Elo

Que tanto quero eterno


Doce e fraterno

Em um ser que sinto


Outono que miro

Envolve-me em bons sentimentos


Luzis o amor que tanto almejo

E o aproxima 


De meu singelo jardim

faça-o sublime existência


Outonos, primaveras, verões e invernos

Renovando-o em próximo elo


Belo e eterno

Fidedigno ao que entrego


Wellington Bernardino Parreiras
Mineirim das Gerais
21/03/2013
13:37

Nenhum comentário: