sábado, 7 de maio de 2011

Quando se ama...


Arte: Luiza Maciel Nogueira flor-mulher

Quando se ama...

O amor pára o pulsar...
Desritmado, o coração acelera...
Brota o verbo amar...
...
O tempo deixa de ter espera
Nos breves longos instantes
Em que tua presença era
Imagem

Ó ausências

Sou teu girassol
Ávido pelo sol

Ó Silêncios

Sou o canto do rouxinol
De tempos alegres
Porém idos

Ó nuvens

Pensamentos entre-ares
Semeiam polens

Ó dor

Quando beija-flor
Imagina a docilidade
Do verbo amor
Da flor

Wellington Bernardino Parreiras
Mineirim das Gerais
06/05/11 * 01:02

A poesia nasce, a poesia renasce, a poesia é livre, a poesia acontece.... " 

Diante o quando amo o meu filho de 15 anos - Kevin -, ouso a transcrever seus sentimentos apaixonantes, creio o ser semelhantes aos que eu já senti e sinto.... 

por isso a poesia nasce, renasce, acontece e é livre para afetar corações mil!

Abraços fraternos meu querido e eterno filho!

Amo-te!

Um comentário:

Colecionadora de Silêncios disse...

Oi, amigo! :)

Vim matar a saudade dos seus escritos. Adoro tudo o que vc escreve... tem tanto sentimento!

Saudades de vc!

Espero que esteja tudo mais do que bem por aí.

Beijocas... :)